gototopgototop

Deputado Leopoldo Meyer recebe ONG Parceiros do Mar

visita_ONGss
Deputado Leopoldo Meyer com Lucile e Silvia: criação de ONG e proposição de projeto de
lei para que novos acidentes como o que vitimaram Renata e outras pessoas não voltem mais a ocorrer


ONG foi criada pelos familiares de Renata Turra Grechinski, que perdeu a vida presa em uma rede e motivou Meyer a propor projeto de lei para segurança no mar

O deputado Leopoldo Meyer recebeu nesta semana a visita de Lucile Turra e Silvia Turra Grechinski, mãe e irmã da psicóloga Renata Turra Grechinski, que em fevereiro do ano passado, se afogou na praia de Coroados, em Guaratuba, ao ficar presa a um artefato de pesca colocado de modo irregular, enquanto surfava.  A rede em que Renata ficou presa estava sem sinalização e em área de arrebentação, prática proibida pelo Instituto Ambiental do Paraná-IAP.

Este triste fato levou a família e amigos de Renata a criarem a ONG Parceiros do Mar, com o objetivo de conscientizar a população e o governo para o acidente com os artefatos de pescas instalados ilegalmente, e ao deputado Leopoldo Meyer, propor um projeto de Lei Federal delimitando as áreas de lazer e de pesca na orla brasileira e punindo rigorosamente quem infringir tais normas de segurança assumindo o risco de matar ou lesionar alguém.

“O projeto prevê a delimitação de áreas para a pesca e a prática de desportos marítimos e define como crime, punível na forma da Lei dos Crimes Ambientais e do Código Penal, a utilização de redes de pesca em áreas reservadas à prática de desportos aquáticos ou ao lazer e a navegação sem se observarem as normas de segurança editadas pela autoridade marítima”, explica Leopoldo Meyer.   Segundo a PL (4116/2012), aquele que infringir tais normas assume o risco de matar ou lesionar alguém, razão pela qual, nesse caso, se caracterizará o crime como doloso (com intenção de matar).

Além de Renata, outros surfistas e praticantes de esportes marítimos já faleceram da mesma forma.  Segundo informações reunidas pela ONG Mar Seguro/Instituto Thiago Rufatto, criada em homenagem a um jovem assim vitimado em uma praia no Rio Grande do Sul, pelo menos 49 surfistas já morreram dessa forma no litoral deste estado, entre os anos de 1983 e 2012.

Segundo Silvia Grechinski irmã de Renata, ainda não há um conhecimento de número de vitimas total em território brasileiro, já que existe a possibilidade de que outros casos tenham sido registrados apenas como afogamento.

Para Lucile Turra, a conscientização, fiscalização e o trabalho conjunto entre as partes envolvidas é a fórmula para que sejam evitados novos acidentes.

 

“Agradecemos ao deputado Leopoldo Meyer por ter se sensibilizado por nossa causa e colocamos a disposição o nosso trabalho como ONG, para que juntos possamos ampliar essa onda de amor pela vida”.

Leopoldo Meyer se comprometeu a solicitar ao presidente da Comissão em que o projeto de sua autoria tramita para agilizar o andamento do processo. “Estamos falando de vidas humanas em risco, precisamos de uma nova regulamentação urgentemente para evitar que novas fatalidades venham a ocorrer”, completou.

Meyer lembrou ainda que além das redes de pesca colocadas de forma ilegal em áreas de lazer, existem outros riscos a serem prevenidos também. “Acidentes, envolvendo a navegação, como lanchas, motos aquáticas e outras embarcações, motorizadas ou a vela, conduzidas de forma irresponsável e infringindo as normas da autoridade marítima, costumam aproximar-se das praias em alta velocidade, muitas vezes atingindo banhistas e provocando mortes, amputações e outras formas graves de lesão corporal. Queremos, através de uma legislação mais rigorosa e delimitação de áreas, reduzir esses números a zero”, disse.

Parceiros do Mar

A ONG Parceiros do Mar participa de varias atividades relacionadas à segurança no mar e possui como canal de comunicação a página Surf Seguro no Facebook, que conta com mais de quatro mil seguidores, além de mais de cinco mil assinaturas de apoio ao projeto de lei apresentado pelo deputado Leopoldo Meyer para que este seja aprovado no Congresso.  Para acompanhar as principais ações da ONG acesse facebook.com/surfseguro.

 


Voltar