gototopgototop

No Congresso Leopoldo Meyer homenageia a Universidade Federal do Paraná pelos seus 100 anos de existência

Em discurso na tribuna do Plenário, o deputado federal Leopoldo Meyer homenageou os 100 anos de existência da Universidade federal do Paraná, completados nessa quarta-feira (19).

“Tendo seu prédio Histórico como Símbolo Oficial de Curitiba, foi fruto da coragem dos paranaenses em naquela época, criar uma Universidade já com múltiplos cursos em áreas distintas e é por isso reconhecida como a mais antiga universidade em atividade no Brasil”. Disse Leopoldo.

Meyer também descreveu sobre a história da Universidade que começou em 1892, quando o político Rocha Pombo lançou, a pedra fundamental da Universidade do Paraná. Mas, devido à instabilidade gerada pela Revolução Federalista que acontecia no Sul do Brasil em função da divergência entre as elites federalistas e republicanas, o projeto não foi adiante, sendo em 1912, quando se avaliou que o Paraná precisava criar uma classe intelectual maior, que se iniciou novamente o movimento pró-Universidade do Paraná.

O deputado em seu discurso também citou as palavras de um dos fundadores da Universidade, Victor Ferreira do Amaral, durante a criação efetiva da instituição. ”O dia 19 de dezembro representava a emancipação política do Estado e deveria também a partir de agora, representar sua emancipação intelectual”.

Leopoldo Meyer finalizou o discurso parabenizando a todos os fundadores, alunos, funcionários e mestres que fizeram e fazem parte desta história além do atual reitor, Zaki Akel Sobrinho.

“Deixo minha felicitação e admiração por esta Universidade, símbolo maior da intelectualidade paranaense, que sem dúvida alcançou seus objetivos e sonhos nesse seu primeiro Centenário, demonstrando sua importância e excelência através dos cursos de graduação, especialização, mestrado e doutorado e que é motivo de orgulho a todos os paranaenses”, concluiu Meyer.

História

Depois da sua fundação em 19 de dezembro de 1912, a Universidade começou a funcionar  em 1913 – no início, como instituição particular. Os primeiros cursos ofertados foram Ciências Jurídicas e Sociais, Engenharia, Medicina e Cirurgia, Comércio, Odontologia, Farmácia e Obstetrícia. Após ter fundado a Universidade do Paraná, Victor Ferreira do Amaral – que foi também seu primeiro reitor – fez empréstimos e iniciou a construção do Prédio Central, na Praça Santos Andrade, em terreno doado pela Prefeitura.

Na década seguinte veio a Primeira Guerra Mundial e, com ela, a recessão econômica e as primeiras dificuldades. Entre elas uma lei que determinava o fechamento das universidades, pois o Governo Federal de então não recebia bem as iniciativas surgidas de forma independente nos estados.

Foi necessário então criar alternativas para evitar o fechamento da Universidade do Paraná. A forma encontrada na época foi desmembrar a Instituição em faculdades. Durante cerca de 30 anos buscou-se novamente a restauração da Universidade, acontecida no início da década de 50, quando as faculdades foram reunidas e, novamente, foi formada a Universidade do Paraná. Para essa unificação foi fundamental o apoio da imprensa e da comunidade.

Restaurada a Universidade, a próxima batalha visou sua federalização. Na época o reitor Flávio Suplicy de Lacerda mobilizou as lideranças do Estado e, em 1950, a Universidade do Paraná tornava-se uma instituição pública e gratuita, adotando o tripé Ensino, Pesquisa e Extensão, que norteia as atividades da universidade até hoje, em direção à sociedade e ao desenvolvimento da comunidade em que está inserida.

Após a federalização, deu-se uma fase de expansão da Universidade. A construção do Hospital de Clínicas em 1953, do Complexo da Reitoria em 1958 e do Centro Politécnico em 1961 comprova a consolidação da instituição.

A Universidade do Paraná que iniciou com 97 alunos e cinco cursos superiores e hoje oferece mais de 112 habilitações na graduação e 111 cursos de mestrado e doutorado em todas as áreas do conhecimento, entre outras tantas oportunidades de aprimoramento para mais de 30 mil alunos.
A Universidade também desenvolve com a comunidade inúmeros programas e projetos de extensão com foco nos direitos fundamentais da cidadania. Os professores, servidores técnico-administrativos e alunos são protagonistas no cenário da ciência, tecnologia e inovação. A UFPR também é a maior fonte de patentes do Paraná e a quinta do País.

Além das quatro sedes em Curitiba, a UFPR expandiu-se e criou múltiplas sedes pelo interior do Estado e litoral. Disponibiliza atendimento à população em dois hospitais universitários em Curitiba, e dois hospitais veterinários, um em Curitiba e outro em Palotina.


Voltar